Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

A história dos pais de Maria[]

Os pais de Maria foram Joaquim ('Ιωακιμ') e Ana ('αννα'). Aos vinte anos de idade, Joaquim, descendente da tribo de Judá, se casou com Ana, filha de Acar, da tribo de Judá. Vinte anos se passaram desse feliz matrimônio, sem que um filho ou filha viesse ao mundo, o que causava muita tristeza no coração deles. Mas Joaquim, o rico, piedoso e caridoso judeu, passava seus dias dando esmola aos órfãos, pobres, viúvas e estrangeiros. Seu nome significa "elevado ou preparado por Deus". E assim foi a história de Joaquim, um caminho de preparação para se tornar o pai daquela que seria a mãe do Salvador de Israel. Certa vez, quando foi ao Templo fazer sua oferta de expiação, o sacerdote Rúben não permitiu que ele entregasse as ofertas, pois ele não era um abençoado, isto é, não tinha dado a Israel uma descendência. A tristeza tomou conta de Joaquim. Nem voltou para junto de sua mulher. Ele foi para o deserto e ficou ali em jejum durante 40 dias e 40 noites. Outra tradição diz que ele fugiu para a montanha e ali permaneceu durante cinco meses.

Ana, tão logo ficou sabendo da notícia, gemia e chorava a sua esterilidade e viúves, isto é, a ausência de Joaquim. Ana passou dias lamentando a sua infertilidade. No horto de sua casa viu um ninho de passarinho num pé de louro. Ela rezou e clamou por fertilidade. E como seu próprio nome já indica, Ana significa "misericórdia" ou "O Senhor compadeceu-se", Deus ouviu suas orações. Enviou um anjo para anunciar-lhe: Ana, Ana, o Senhor Deus ouviu a tua oração. Conceberás e darás a luz e, em toda a terra, se falará de tua descendência. Um anjo também apareceu a Joaquim na montanha e lhe anunciou a gravidez de Ana. Joaquim se alegrou. Ofereceu um sacrifício. Narrou o acontecido aos servos e mercenários que estavam com ele. Durante 30 dias viajou de volta para a sua casa. Ana e suas servas o receberam com alegria na porta da cidade. Joaquim fooi ao templo levar suas ofertas. Ao ver a insígniaLâmina de ouro que fazia parte da veste solene do sumo sacerdote do sacerdote, ele teve a certeza que Deus o perdoara. Ana concebeu e deu à luz a uma menina, a qual pôs o nome de Maria e a consagrou por toda a sua vida a Deus.

Advertisement