Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

Durante a procissão do enterro de Maria: incredulidade, mão seca e profissão de fé[]

O corpo foi colocado no esquife. Houve uma discussão entre eles para saber quem levaria a palma diante do féretro. João, ou Pedro, considerado por todos o chefe dos apóstolos? Pedro disse que João deveria levar a palma, pois somente ele fora escolhido como virgem pelo Senhor. No seu peito o Senhor tinha reclinado a cabeçaSegundo Jo 13,25, é o discípulo que se reclina no peito de Jesus e, além disso, Maria foi entregue aos seus cuidados por Jesus. Outra tradição diz que é Maria quem recorda esses fatos a João, logo quando ele chega em sua casa. Além disso, ela reforça que João tinha a firme decisão de permanecer virgem.

E assim foi o cortejo fúnebre: João levava a palma à frente, uma grande nuvem com exército de anjos cobriam o féretro, toda a terra ressoava em suavíssimo cântico. E Pedro catou: Quando Israel saiu do Egito, aleluia. De Jerusalém saiu uma multidão de 15.000 pessoas que se perguntavam pelo motivo do cântico dos anjos. Um deles explicou que Maria havia saído do corpo e que os discípulos de Jesus cantavam seus louvores. Na multidão, se encontrava o chefe dos sacerdotes dos judeus. Esse, cheio de ira diante da glória recebida por aquela que havia gerado quem os tinha confundido, tentou virar o esquife e atirar o corpo por terra, mas no mesmo instante suas mãos ficaram secas desde o cotovelo e permaneceram presas no caixão. Enquanto os apóstolos levavam o esquive, ele se retorcia de dor. Os anjos feriram de cegueira o povo. Então aquele chefe implorou a Pedro dizendo: São Pedro, peço-te que não me desprezes agora que estou necessitado e sofro este horrível tormento. Lembra-te de que, quando aquela criada te reconheceu no pretório, fui eu quem falou em tua defesa. Pedro respondeu que não podia fazer nada por ele, mas se ele acreditasse de todo o coração no poder de Jesus Cristo, a quem Maria havia trazido no seio, permanecendo virgem depois do parto, a clemência de Deus o salvaria. O chefe dos sacerdotes disse que acreditava nas palavras de Pedro. Esse fez parar o cortejo. Pedro lhe disse: Aproxima-te do corpo, beija o esquife e repete: 'creio em Deus e no Filho de Deus, Jesus Cristo, que esta trouxe em seu seio, e creio tudo o que me disse Pedro, o apóstolo de Deus'. Assim fez aquele homem e, no mesmo instante, sua dor e suas mãos ficaram curadas. Todos choraram de alegria ao ver tamanha fé. E Pedro lhe pediu para pegar a palma da mão de João, entrar na cidade, impor a palma sobre os olhos dos cegos para os curarem. Assim muitos creram no chefe dos sacerdotes e foram curados, os que não creram morreram. Depois que ele impôs a palma, devolveu-a a João, e contou o que tinha acontecido aos apóstolos.

Outra tradição diz que alguns dos judeus saíram armados com espadas e lanças para matar os apóstolos e jogar corpo de Maria com o livro numa fossa. Furiosos, lançaram-se sobre o esquife para derrubá-lo. As mãos de um deles ficaram presas ao esquife, separadas dos braços. Esse homem, então, caiu em pranto diante dos apóstolos e suplicava o perdão. Disse a Pedro: Lembra-te de meu pai. Ele era porteiro e te ajudou. Faço esse pedido porque és discípulo daquele homem que ensinou o perdão. Pedro lhe disse a cura não competia a ele, mas se confessasse a fé em Jesus, a cura seria possível. Ele disse que acreditava. Pedro lhe pediu que beijasse o corpo de Maria dizendo: 'Creio em ti e no fruto que saiu de ti'. Ele o fez e voltou ao normal. Pedro lhe deu uma folha do livro e lhe disse para entrar em Jerusalém e impor a folha sobre os olhos deles e eles serão curados. Muitos foram curados por aquele gesto.
Advertisement