Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

Maria no túmulo: assunção e discussão entre os apóstolos sobre os mistérios revelados no Monte das Oliveiras[]

Os apóstolos chegaram ao lugar indicado por Jesus, no vale de Josafá, onde depositaram o corpo de Maria e se sentaram à porta do sepulcro. João pediu a Pedro que lhe revelasse os mistérios que Jesus lhe tinha revelado no monte das Oliveiras. Pedro disse que não podia revelá-lo, pois não estava preparado. Paulo, então, começou a pregar. Falou por muito tempo. Os apóstolos não concordaram com as palavras de Paulo e murmuraram. O Senhor apareceu rodeado de anjos, saudou-os com o desejo de paz, reafirmou a escolha de Maria para dela ele pudesse nascer e perguntou aos apóstolos o que eles queriam que ele fizesse por ela. Pedro e os apóstolos disseram que pela graça do poder de Deus, seria justo que ressuscitasse o corpo de sua Mãe e que conduzisse ao céu, para que vencida a morte, ela pudesse reinar com ele no céu. E o Salvador respondeu: faça-se segundo o vosso parecer.

Jesus deu ordem ao arcanjo Gabriel que trouxesse a alma da Santa Maria. Ele girou a pedra do sepulcro. E Jesus disse: Sai minha amiga! Tu que não aceitaste a corrupção do relacionamento carnal não sofrerás a dissolução do corpo no sepulcro. E naquele momento ressuscitou Maria do sepulcro. Ela, então, bendisse ao Senhor e, atirando-se a seus pés, o adorou, dizendo: Senhor, não posso render-te graças dignamente pelos benefícios que te dignaste conceder a mim, tua serva. Que teu nome, Redentor do mundo, Deus de Israel, seja bendito para sempre. Jesus, então, a beijou e retirou-se, entregando sua alma aos anjos para que a levassem ao Paraíso. Jesus também beijou os apóstolos e os confirmou no ministério. Prometeu que estaria com eles até o fim do mundo. Uma nuvem o encobriu e o levou ao céu, juntamente com os anjos que levavam Maria ao Paraíso de Deus. E um nuvem reconduziu os apóstolos aos lugares onde eles deveriam pregar.

Outra tradição diz que Jesus veio com Miguel e outros anjos. Jesus sentou no meio deles e disse: Ave Pedro, bispo, e João, que és virgem. Vós sois a minha herança. Ave Paulo, que aconselhas coisas boas. pediu a Paulo que não se entristecesse pelo fato de a ele não ter sido revelado os mistérios da glória. Então, o Senhor fez um sinal a Miguel, que falou aos anjos. Vieram dez mil anjos e esses levaram o corpo de Maria para o Paraíso. Jesus também deu ordens para levar os discípulos para junto dele. Quando chegaram ao paraíso, depuseram o corpo de Maria junto à árvore da vida. Tomaram sua alma e a colocaram sobre seu corpo. Em seguida, os apóstolos vistam a morada dos mortos, ao lugar dos tormentos, o paraíso e o sétimo céu. Jesus disse aos discípulos para anunciar na terra tudo o que viram. Para Maria foi trazido um trono. Estavam em redor dela dez mil anjos e três virgens. Ela se sentou e foi para o paraíso. Os apóstolos foram conduzidos por Miguel ao monte das Oliveiras.
Advertisement