Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

Maria deixa o Templo: primeira menstruação e o acolhimento de José[]

Quando completou doze anos, os sacerdotes se perguntaram: não podemos deixar que a primeira menstruação dela ocorra no templo, pois manchará o santuário do Senhor nosso Deus. Caso isso acontecesse, a ira de Deus poderia vir sobre Israel. O sumo sacerdote entrou, então, no Santo dos Santos e rezou. A solução encontrada foi convocar os viúvos e jovens não casados da tribo de Judá. Cada um deveria trazer um bastão. Aquele a quem o Senhor mostrar um sinal, deste ela seria a mulher. Todos os viúvos e jovens solteiros se reuniram no templo. O sacerdote recebeu deles as varas. Entrou no templo e rezou. Depois devolveu as varas. José, um viúvo carpinteiro que morava em Belém, foi o último a receber a sua vara. A sua vara estava seca, mas eis que dela saiu uma flor que inundou com seu perfume todo o ambiente. Quando José elevou a vara, dela saiu uma pomba e pousou sobre a sua cabeça.

Outra tradição diz que uma pomba mais branca que a neve e extraordinariamente bela saiu da extremidade do bastão e, depois de voar longamente pelas alturas do templo, lançou-se na direção do céu. E esse foi o sinal que ele era o escolhido por Deus. Outra tradição diz que foi tirada a sorte entre as tribos de Israel e essa caiu sobre José.

José recusou aceitar Maria, pois aos 99 anos, era um viúvo de idade avançada. Além disso, do seu casamento, tinha quatro filhos (Judas, Justo, Tiago e Simeão) e duas filhas (Lísia e Lídia). Todos iriam zombar dele. Um homem idoso com uma esposa jovem. Mesmo assim, José aceitou a designação de Deus e a levou, juntamente com outras cinco virgens (Rebeca, Séfora, Susana, Abigeia e Cael) que deviam permanecer com ela na casa de José até o dia marcado para José tomá-la como esposa. Maria não poderia se casar com outra pessoa. Essas virgens a chamavam de rainha das virgens. Chegando na casa de José, Maria logo se afeiçoou por Tiago, o filho menor de José, que ainda sofria a ausência da mãe. Maria cuidou dele como mãe. O evangelho de Mateus fala, por isso, de Maria, a mãe de Tiago (Mt 27,56), embora não o fosseessa Maria pode ser Maria de Cléofas (ou Clopas, conforme Jo 19,25), que é a irmã de Maria. Maria cuidava também como mãe do outro filho menor de José, Simão. Passado algum tempo, por motivo de trabalho, José, Maria e dois filhos menores se mudaram para Nazaré.

Advertisement