Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

A infância de Jesus nos apócrifos[]

A infância de Jesus nos apócrifos é recheada de façanhas pueris e também de histórias incríveis, as quais merecem a nossa consideração. Já vimos como foi o nascimento de Jesus e a sua relação com Maria e José. Vejamos, agora, algumas histórias desse menino prodígio, narradas nos evangelho do Pseudo-Tomé, evangelho armênio da infância, evangelho da Infância do Salvador, evangelho do Pseudo-Mateus, evangelho árabe da infância.

Jesus menino brinca com outras crianças[]

Certa vez Jesus, aos cindo anos de idade, num dia de sábado, estava brincando em uma correnteza de água, depois da chuva. Ele represava as águas e as dominava com a sua palavra. Tomando uma pasta com barro, modelou doze passarinhos. Um certo judeu, vendo-o fazer aquilo em dia de sábado, saiu correndo contou o fato a José, que veio e repreendeu-o. Jesus, olhando para os passarinhos, bateu palmas e disse-lhes: Ide! Abrindo as asas, os passarinhos voaram, gorjeando.

Estava brincando com Jesus o filho do escriba Anás. Esse, tomando uma vara, desmanchou a represa que Jesus tinha feito. Vendo aquilo, Jesus se indignou e disse-lhe: Malvado, ímpio, insensato! por acaso te faziam mal as poças e a água? Agora ficarás sexo como uma árvore e não produzirás nem folhas, nem raízes, nem frutos. No mesmo instante, o menino ficou completamente seco, Jesus retirou-se para a casa de José. Os pais do menino seco tomaram-no e, chorando, o levaram a casa de José, a quem censuraram asperamente, pelo fato de seu filho fazer tais coisas.

Um dia Jesus estava brincando com Lázaro e outros meninos dentro de um quarto de uma casa. Era final da tarde. Um raio de sol entrava dentro do quarto. Jesus perguntou aos outros meninos se algum deles seria capaz de abraçar o raio de sol e subir por ele. Todos ficaram calados e Jesus abraçou o raio e subiu por ele até a janela. Alguns tentaram fazer o mesmo, mas não conseguiram.

Os malfeitos de Jesus eram tantos, que muitos pais proibiram seus filhos de brincar com ele. Um deles chegou a prender seu filho em um quarto para que ele não se encontrasse com Jesus. Jesus ficou sabendo disso, foi até o quarto, pediu ao menino que colocasse a sua mão fora da pequena janela. E Jesus o tirou por aquele buraco. Os dois brincaram e depois Jesus o recolocou no quarto pelo mesmo buraco.

Jesus menino pune de morte[]

Jesus estava caminhando em um povoado, quando um menino, que vinha correndo, esbarrou nele pelas costas. Jesus ficou irritado e lhe disse: Não continuarás o teu caminho. O menino caiu morto ali mesmo. Os transeuntes que presenciaram a cena ficaram estupefatos. Os pais do morto censuram a José dizendo: Desde que tens um filho assim, não podes viver conosco no povoado, a não ser que o ensines a abençoar e não a amaldiçoar. Ele causa a morte de nossos filhos. José se irritou com Jesus, o repreendeu com palavras e um puxão de orelhas. Jesus se aborreceu com José, mas o perdoou por não saber quem ele era, de fato. No entanto, aqueles que o acusaram, Jesus os castigou com a cegueira.

Quando Jesus tinha cinco anos, estava brincando na enxurrada, represando as águas. Um menino desmanchou com uma vara a sua represa e Jesus o xingou, chamando-o de Satanás. E o menino caiu morto no mesmo momento. A população foi falar com José e ele disse a Maria para resolver a situação. Maria conversou com Jesus. Para não maltratar a mãe, Jesus foi à casa do morto, beliscou a sua bunda, dizendo: Levanta-te, filho da iniquidade, não és digno de entrar no descanso de meu Pai por ter desmanchado o que eu havia feito. O morto se levantou e Jesus saiu do lugar sem dar outras explicações.

Certa vez, José pediu a Tiago que fosse à horta para apanhar um molho de couve para o almoço. Jesus foi junto com Tiago. Chegando lá começou a observar um ninho de passarinho. Quando Tiago estava apanhando a couve, uma serpente picou a sua mão. O menino gritou e caiu desmaiado. Jesus ouviu o grito, viu a serpente, compreendeu o que tinha ocorrido e disse à serpente: Volta e chupa de novo o veneno que você colocou no meu irmão. A serpente se arrastou para perto de Tiago e chupou o veneno. Jesus a amaldiçoou e ela se arrebentou. Jesus soprou nas mãos de Tiago e ele voltou a ficar como antes.

Jesus vai à escola[]

O primeiro professor de Jesus se chamava Zaqueu. Esse tinha presenciado o diálogo sábio de Jesus com José. Zaqueu, então, sugeriu a José que o matriculasse na sua escola para que Jesus pudesse aprender as letras e os bons costumes. José não gostou da sugestão, mas acabou levando Jesus para a escola de Zaqueu. Antes, porém, Jesus fez um grande discurso desafiando o mestre Zaqueu. Dizia: Eu sou, na realidade, teu professor, embora tu sejas chamado de meu mestre. Conheço a tua idade, sei exatamente quanto durará a tua vida. Quando vires a cruz que meu pai mencionou, então acreditarás que tudo o que disse é verdade.

No primeiro dia de aula, o mestre ensinava e Jesus permanecia calado o tempo todo. Zaqueu irritou-se e bateu-lhe na cabeça. Jesus, irritado, disse ao professor que quem tinha o poder de ensinar era ele, Jesus. Ele desfiou o mestre dando uma verdadeira aula sobre as letras. O professor, surpreso pela erudição de Jesus, disse: Ai de mim! Não sei o que fazer. Eu mesmo procurei a confusão para mim, ao trazer para cá este menino. Toma-o, pois, eu te rogo, irmão José. Não posso suportar a agudeza de seu olhar, nem chego a entender suas explanações. Este menino não nasceu na terra; pode dominar o próprio fogo. Talvez tenha nascido antes da criação do mundo ... Não posso acompanhar o voo da sua inteligência. Queria um aluno e encontrei um mestre. Fui vencido por um menino. José, leve-o para a casa. Jesus voltou para acasa. Os que tinham ficado cegos, foram curados e ninguém mais ousava irritá-lo.

O segundo professor de Jesus se chamava José. Visto que Jesus crescia analfabeto, José quis, de novo, colocar Jesus na escola. O professor José já conhecia a fama de Jesus, mas mesmo assim aceitou educá-lo. Na sala de aula, Jesus também o desafiou. Esse, irritado, bateu na cabeça de Jesus. Quando sentiu a dor, Jesus o amaldiçoou. No mesmo instante, o mestre desmaiou (morreu) e caiu de bruços ao chão. Jesus voltou para a casa e José o prendeu em casa, com medo que ele matasse mais pessoas.

Um terceiro professor, amigo de José, propôs educar Jesus. José deixou que ele levasse Jesus. Na sala de aula, Jesus entrou com desenvoltura e começou a ensinar a partir de um livro que ele encontrou sobre a mesa. Uma multidão se ajuntou no lugar. José, ficou sabendo do ocorrido e foi à escola, pensando que Jesus tivesse também feito mal ao professor. Quando José chegou, o professor elogiou a sabedoria de Jesus e pediu que levasse Jesus de volta para casa. Jesus, ao ouvir aquelas palavras sábias, curou o mestre anterior, aquele que tinha ficado caído desmaiado. José tomou, então, Jesus e o levou para casa.

Quando Jesus tinha doze anos, foi com seus pais a Jerusalém para participar das festas da Páscoa. Terminada a festa, José e Maria voltaram para casa, pensando que Jesus estava com eles. No entanto, ele tinha voltado para Jerusalém. No templo, ele foi encontrado depois de três dias, discutindo com os doutores da Lei. Quando Maria viu Jesus, os escribas e fariseus lhe disseram: És, porventura, a mãe deste menino? Ela respondeu: Sim E eles prosseguiram: Feliz és tu entre as mulheres, já que o Senhor se dignou abençoar o fruto do teu ventre. Glória, virtude e sabedoria iguais às dele não vimos jamais e nem de coisa semelhante ouvimos falar. Jesus levantou-se e acompanhou sua mãe. E era obediente a seus paisTexto canônico em Lc 2,41-52.

Jesus menino ressuscita[]

Certa feita, Jesus estava brincando no terraço de uma casa. Um dos meninos, chamado Zenão, que estava brincando com ele caiu do alto e morreu. Os outros meninos, apavorados, correram e deixaram Jesus só. Os pais do morto chegaram e colocaram a culpa em Jesus. Jesus lhes respondeu que ele não tinha empurrado o menino, mesmo assim, esses o maltratavam. Jesus, então, deu um salto lá de cima e caiu junto ao cadáver e gritou em alta voz: Zenão, levanta-te e responde-me: Fui eu que te atirei lá de cima? O morto se levantou e respondeu: Não, senhor. Tu não me atiraste, mas me ressuscitaste. Os presentes se maravilhavam diante do ocorrido. Os pais do menino adoraram a Jesus.

Poucos dias depois, um jovem estava cortando lenha com um machado que desprendeu de suas mãos e cortou os seus pés. A hemorragia foi grande a ponto que ele já estava morrendo. Muitos curiosos reuniram no lugar. Jesus também foi. Vendo a situação, Jesus apertou com as mãos o pé dilacerado do jovem e ele foi curado. Levantou-se e continuou a cortar lenha. Todos se maravilharam e diziam: O Espírito de Deus habita neste menino.

Perto da casa de José, um menino ficou doente e faleceu. Sua mãe chorava amargamente. Quando Jesus ouviu falar do seu sofrimento, foi até a casa do menino e o ressuscitou. E disse a mãe: Toma-o, dá-lhe leite e lembra-te de mim. Todos se admiraram com o fato ocorrido. E Jesus saiu e foi brincar com outras crianças.

Mais tarde, Jesus ressuscitou também um homem que jazia morto no chão.

Quando Jesus estava voltando com os seus pais do Egito, passando por Moab, aí eles se estabeleceram. Um certo dia, Jesus estava no terraço de uma casa brincando com alguns meninos. Um deles subiu no muro do terraço para descansar, passou mal e caiu lá de cima, bateu a cabeça no chão e morreu. Na hora da queda, esse menino, de nome Abías, deu um forte grito. A população se reuniu. Os pais perguntaram pelo responsável do ato. Todos responderam que não sabiam. Os meninos foram levados ao escriba local, mesmo assim eles continuaram a dizer que não sabiam quem tinha feito tal ato. Um tempo depois, eles decidiram culpar Jesus, por ser novo no local e estrangeiro. O tribunal foi reunido e eles acusaram Jesus como culpado. Jesus foi procurado na casa de José e levado ao tribunal. Jesus não aceitou a acusação e pediu testemunhas. As crianças, em uníssono, gritaram que Jesus era culpado e malvado. Jesus, então, disse ao Juiz que provaria sua inocência. Ele foi até onde estava o morto, gritou para que abrisse os olhos e contasse a verdade dos fatos. O menino ressuscitou, reconheceu os presentes e falou tudo o que ocorreu, que tinha passado mal e caído do terraço. O menino ficou três horas vivo. E Jesus lhe disse para voltar ao sono da morte. E o menino morreu de novo. Os pais do menino e o juiz se ajoelharam aos pés de Jesus, implorando que devolvesse a vida ao menino. Jesus não aceitou a proposta. O menino continuou morto e Jesus foi embora do lugar, seguindo com a família para Nazaré.

Jesus menino faz milagres[]

Maria pediu a Jesus que fosse com a jarra buscar água na fonte. No percurso, Jesus se esbarrou em alguém e o jarro quebrou. Jesus, então levou água no manto. Chegando em casa, Maria, admirada, pôs-se a beijar seus pés.

Certa feita, Jesus foi com José semear trigo em seu campo. Enquanto José espalhava a semente, também Jesus semeou um grão. No tempo da colheita, Jesus colheu 38.000 litros. Chamou os pobres do lugar e repartiu com eles a colheita. josé levou o restante para casa.

Uma pessoa rica pediu a José que lhe fizesse uma cama. Aconteceu, porém, que um dos varais era mais curto do que o outro. José não sabia o que fazer. Jesus lhe disse para colocar as peças no chão e igualá-las de um lado. Assim o fez José. Jesus, então, pegou a vara mais curta e a esticou até ficar do tamanho da outra. José se encheu de admiração, beijou os pés de Jesus e agradeceu a Deus por ter-lhe dado Jesus.

noutra ocasião, José pediu a Tiago, seu filho caçula, que fosse buscar lenha. Jesus foi com ele. Enquanto recolhia a lenha, uma serpente picou a mão de Tiago. Esse estava já para morrer. Jesus se aproximou e soprou a ferida. A dor desapareceu logo em seguida. A serpente arrebentou-se e Tiago recobrou a saúde.

Em Galaad, enquanto brincava com uns meninos perto do rio, Jesus transformou a água em sangue.

Numa cidade, também nas terras de Galaad, Jesus curou uma criança que estava perdida no campo e morta de sede e insolação.

Entrando na casa de um tintureiro, chamado Salém, Jesus misturou os tecidos em recipiente com tinta azul. Esse chegou e brigou com Jesus. Ele, então, tirou do recipiente os tecidos, cada um com a cor que o tintureiro queria.

Advertisement