Wiki Catolica
Advertisement
As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

A não-dualidade como condição para entrar no Reino segundo o evangelho de Tomé[]

O evangelho de Tomé conservou textos belíssimos sobre integração masculino e feminino. Nisso estava uma das condições básicas para entrar no Reino de Deus. O estado infantil, do qual viemos, é lembrado com insistência. Destacamos algumas passagens:

  • Tomé 22: Jesus viu algumas crianças que estavam se amamentando ao seio. Disse aos discípulos: Essas crianças que estão se amamentando são semelhantes aos que entram no . Eles Reino lhe perguntaram: Então, se nos tornardes crianças, entraremos no Reino? Jesus respondeu-lhes: Quando de dois fizerdes Um e quado fizerdes o interior como o exterior, o exterior como o interior, e o alto como o baixo, quando tornardes o masculino e o feminino em Único ser, a fim de que o masculino não seja um macho nem o feminino uma fêmea; quando tiverdes olhos em vossos olhos, a mão em vossa mão, e o pé em vosso pé, um ícone em vosso ícone, então, entrareis no Reino!
  • Tomé 37: Os discípulos perguntaram: Em que diz será a tua manifestação? Em que dia teremos nossa visão? Respondeu Jesus: no dia em que estiverdes nus como crianças recém-nascidas que andam por cima de suas roupas, então, verei o filho do Vivente. E deixareis de ter medo.
  • Tomé 49: Disse Jesus: Felizes sois vós, os unificados e os eleitos, porque encontrareis o Reino: de fato, dele viestes e para ele voltareis.
  • Tomé 106: Disse Jesus: Se fizerdes de dois-Um - sereis Filhos do Homem. E se disserdes: Montanha, afasta-te, ela afastar-se-á.

Essas passagens nos mostram que a comunidade de Tomé era crítica à ideia de esperar a salvação de modo apocalíptico. Basta a procura incessante do estado puro, quando vivíamos no jardim do Éden. As crianças são os símbolos perfeitos dessa situação querida por Deus. No entanto, não basta ser criança, é preciso unificar todo o corpo. O dois tem que voltar a ser um: interno e externo, um só pe, uma só mão, um só olho, etc.

Os rabinos ensinavam que quando nascemos éramos colocados na parte traseira, de cima a baixo. Deus, então, nos cerrou ao meio. Por isso, somos iguais na parte de trás. Cada um vive sempre nostálgico de sua parte serrada.

A dualidade grega, a divisão entre corpo e alma, deixou sequelas no nosso modo de pensar e agir. O corpo passou a ser visto como prisão da alma. Só a alma passou a ter valor. Salve a tua alma e basta! Quantas injustiças sociais e de gênero foram feitas em nome da dualidade. O evangelho de Tomé nos deixa o desafio de ver o corpo por inteiro, sem divisão. Viver como crianças e sem recalques. Será isso possível em tempos de globalização?

Advertisement