FANDOM


As origens apócrifas do cristianismo
Apresentação
1 Abrindo as portas das origens
2 O Evangelho de Maria Madalena
MM 7,1-10: a matéria MM 7,11-28: o pecado
MM 8,1-10: harmonia MM 8,11-24: bem-aventurado
MM 9,1-20: o beijo MM 10,1-25: o tesouro
MM 15,1-25; os climas MM 17,1-20: a preferida
MM 18,1-21: Meu irmão Pedro MM 19,1-3: anunciar o evangelho
3 O Evangelho de Tomé
Texto, datação e autoria Gênero Literário e conteúdo
Personagens Evangelho de Tomé e o de João
A não-dualidade O Reino do Pai
Evangelho de Tomé e os sinóticos Tomé e Maria Madalena
4 A outra Maria, mãe de Jesus, segundo os apócrifos
Os pais de Maria A infância de Maria Maria deixa o Templo
Maria em Nazaré A caminho Entre Belém, Egito e Nazaré
A morte de Jesus O anúncio da morte O dia em que Maria morreu
A procissão Maria no túmulo Resumo
5 A história de José nos evangelhos apócrifos
6 A infância de Jesus nos apócrifos
7 Conclusão
8 Bibliografia básica para o estudo dos apócrifos

Assim como o evangelho de João, o de Tomé termina falando de Maria MadalenaEditar

Maria Madalena foi, com certeza, uma personagem que marcou presença no início do cristianismo. A sua liderança e relação íntima com o Mestre Jesus fez dela santa e pecadora. Além do seu evangelho, os evangelhos canônicos a citam doze vezesMt 27,56; Mt 27,61; Mt 28,1; Mc 15,40; Mc 15,47; Mc 16,1; Mc 16,9; Lc 8,2; Lc 24,10; Jo 19,25; Jo 20,1; Jo 20,18 e, assim como o evangelho da comunidade joanina, Tomé termina o seu evangelho falando o seguinte sobre ela:

"Disse-lhe (a Jesus) Simão Pedro:
Maria deve afastar-se do meio de nós
porque as mulheres não são dignas da Vida.
Respondeu Jesus:
Eis que eu a levarei a tornar-se Homem, para que se torne
um espírito vivente igual a nós homens.
Com efeito, toda mulher que se fizer Homem
entrará no Reino de Deus" (Tomé 114).

Algumas inquietações surgem ao ler esse texto. Por que o evangelho de Tomé termina falando de Maria Madalena? O que significa tornar-se homem? As mulheres não são dignas do Reino? A primeira pergunta já foi respondidaqual?. Restam as outras duas.

Esse texto deve ser entendido em sintonia com outras passagens do evangelho de Maria Madalena e do tratado gnóstico chamado Pistis Sophia, as quais descrevem a postura misógina de Pedro em relação às mulheres. Essa aversão de Pedro às mulheres é reflexo da disputa de liderança entre os primeiros cristãos. E nesse campo era normal que as mulheres não levassem a melhor, pois eram consideradas incapazes para aprender ensinamentos profundos. O grande pecado de Maria Madalena foi o de saber demais.

A expressão tornar-se homem seira mais bem traduzida por integrar o masculino e o feminino dentro de cada um de nós. Esse é um caminho de espiritualidade. Assim agiam e pensavam a comunidade dos gnósticos. Para eles, Jesus teria utilizado em Mt 19,11-12 não substantivo eunuco pelo reino, mas andróginoCf. Jean-Ives Leloup, O evangelho de Tomé, Petrópolis: Vozes, 2000, p.214, termo grego que expressa a totalidade do ser humano conhecedor de si mesmo e de Deus. Um castrado não pode amar por inteiro. Ao responder a Pedro, Jesus ironiza a sua atitude, dizendo que ele não podia fazer Madalena um ser capaz de compreender e ensinar. Pedro pensava que só eles, os homens, possuíam essa faculdade.

Tanto mulheres e homens que não conseguem integrar o masculino e o feminino dentro de si não entrarão no Reino de Deus. A mulher deve fazer-se homem e o homem deve fazer-se mulher para entrar no Reino. Quem puder, compreenda!
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.